We Are Social Mashup #16

por Jéssica Lima em Notícias

Consumidores respondem melhor ao conteúdo compartilhado do que aos anúncios pagos
A General Electric se juntou ao Buzzfeed para provar de uma vez por todas que o conteúdo compartilhado tem uma resposta melhor dos usuários do que os anúncios pagos. A empresa de mensuração de publicidade, Vizu, expos indivíduos ao vídeo “The GE Show” por meio de anúncios pagos e por meio dos amigos compartilhando o vídeo. Eles descobriram que em geral, aqueles que assistiram o vídeo por meio do compartilhamento aumentaram a sua percepção da marca – associando-a melhor com atitudes positivas como criatividade e inovação. Paul Marcum, diretor de marketing global, disse que o estudo foi uma lição sobre “o valor dos advogados da marca, e que vai informar as decisões de marketing”. Compartilhar é tudo, gente!

Adolescentes escolhem o Twitter, enquanto as gerações mais velhas destroem o Facebook
Desde sempre os pais vem alertando os seus filhos sobre privacidade e para não compartilhar muitas informações online. E as crianças, como sempre, não ouviram e compartilharam o mundo todo com o seus amigos e os amigos dos seus amigos. Mas agora uma coisa engraçada começou a acontecer. Os pais entraram para o Facebook e esqueceram dos seus próprios conselhos, e agora as crianças estão com medo de perder a sua privacidade, não para stalkers, hackers, mas para os seus próprios pais. Como resultado, vários adolescentes estão migrando para o Twitter para escapar dos olhos curiosos das gerações mais velhas. Naturalmente, o que esta acontecendo aqui não é nada novo, como aponta Alice Marwick,  pesquisadora de pós-doutorado da Microsoft Research , “Eles só querem um lugar, onde eles possam se expressar e falar com seus amigos sem ninguém estar vendo.”

Quando se trata de fan pages no Facebook: Local é melhor do que global
Socialbakers fez uma pequena investigação e determinou que as páginas locais possuem um engajamento maior do que as páginas globais. Citando as páginas da Xbox e da BMW como exemplos, eles mostram que os resultados das páginas locais são bem mais elevados (10 vezes maior no caso do Xbox!) de engajamento do que uma página global. Os benefícios de “agir ao nível local” incluem conteúdo e conversa sendo mais relevantes, os fãs compartilham a língua e os fãs têm mais em comum.

Timeline e o Open Graph estão vindo às páginas de marca
Os profissionais de mídias sociais estão se preparando para as mudanças que estão por vir para as páginas de marca do Facebook em 2012, mais notavelmente, a introdução da Timeline e do Open Graph. Carolyn Everson, vice-presidente de soluções de marketing global do Facebook:

Há muita especulação [sobre a Timeline]. O objetivo sempre foi o de ter a sua experiência pessoal no Facebook, e não é tão diferente do que a experiência de marca ou da página. E agora, é diferente. Você tem Timeline e você tem uma página da marca. Portanto, estamos nos movendo em direção à sincronização da fan page com o perfil. Acreditamos que as marcas querem ter a possibilidade de se representar de uma forma mais agradável visualmente, e nós estamos tentando descobrir a melhor forma de fazer isso.

Sobre o Open Graph, Everson declarou que:

Nós não queremos que as marcas pensem que o próximo passo é a implementação do Open Graph. Porque você coloca coisas e as pessoas não se preocupam, elas não querem compartilhar, e desligam. Estamos trabalhando marca por marca, e, francamente, indústria por indústria.

Timeline é apoiada por apenas um em cada dez usuários do Facebook
Quando se trata de usuários ao invés de marcas, um levantamento com 4.000 usuários descobriu que apenas 8% aprovam a “nova”  Timeline. A pesquisa também descobriu que 51% dos entrevistados estavam preocupados com as alterações e apenas 8% disseram que se acostumaram com as mudanças. É claro que só tempo dirá se as mudanças serão bem aceitas ou não, ainda temos um longo caminho. A “nova” timeline é um ciclo típico de: satisfação com alvoroço, depois tristeza, abatimento, em seguida silêncio e finalmente a aceitação.

O botão “assinar” é  um sucesso entre os jornalistas e administradores de páginas. 
Desde Novembro de 2011, os jornalistas têm visto um aumento de 320% no número de assinantes nos seus perfis. O Twitter revelou-se um sucesso no início com os jornalistas e hoje eles parecem estar usando o recurso “assinar” mais ou menos da mesma maneira; para manter seus leitores informados e aumentar a velocidade da distribuição da informação por meio do compartilhamento de artigos, fotos, vídeos e perguntas dos seus assinantes. Facebook também introduziu a opção para os usuários poderem se inscrever para receber os feeds dos administradores das páginas, abrindo novos canais de comunicação entre consumidores, marcas de páginas e as pessoas que as gerenciam.

Facebook testa novo plugin social, “The Recommendation Bar”
Facebook estreou um novo plugin social que incorpora algumas das características Open Graph: o “Recommendation Bar”, permite que os usuários obtenham recomendações e compartilhe o que estão lendo com os seus amigos.

Mais de 5 bilhões de músicas foram compartilhadas no Facebook desde a conferência f8
Desde setembro, mais de 5 bilhões de músicas foram compartilhadas, como resultado do recurso “frictionless sharing” que é um sucesso entre os usuários. Enquanto alguns críticos dizem que ele reduziu o compartilhamento de conteúdo, outros dizem que é invasivo. Mesmo assim, é difícil argumentar contra os números.

Twitter lança páginas de marca para grandes investidores
A implantação de páginas de marca no Twitter continua a partir 01 de fevereiro, mas apenas para marcas que já se comprometeram em gastar pelo menos US$ 25.000 em anúncios. O Twitter não quis comentar sobre o que está acontecendo fora das novas páginas ou sobre o investimento em publicidade necessário para se qualificar, embora tenha anunciado que estão sendo criadas parcerias com algumas pessoas e instituições de caridade para a implantação de páginas de marca. Uma das instituições é a Cruz Vermelha Americana.

O Analytics do Twitter será introduzido nos próximos meses
Erica Anderson, gerente do Twitter para notícias e jornalismo, anunciou que um dos novos recursos que serão liberados nos próximos meses é o serviço de análise para ajudar os criadores de conteúdo a rastrear como o seu conteúdo está se espalhando por toda a Twittosfera.

Pode um pássaro engaiolado ainda tweetar? Aparentemente não.
Entre seus muitos anúncios, o Twitter também divulgou que agora é capaz de censurar tweets em certos países, a fim de cumprir com as leis locais. O anúncio foi recebido com certa desconfiança pelos analistas, uma vez que o Twitter tem desempenhado um papel importante, principalmente referente as rebeliões que ocorreram. Apesar disso, o serviço de microblogging desviou algumas das críticas quando optou por uma transparência total sobre os tweets censurados. Para ser qualificado como censura, uma “entidade autorizada” terá de informar o tweet ou conta, que passará a ser censurada no país, e em seu lugar será exibido um aviso informando aos usuários que o tweet ou conta em questão foi censurada por motivos legais. O governo tailandês tem sido um dos primeiros a acolher a decisão. Hmm …

Twitter estará disponível para mais idiomas
Twitter anunciou que as hashtags e Tweets vão passar a funcionar corretamente para usuários que escrevem em árabe, persa, hebraico e urdu. A rede também divulgou que a interface deve estar disponível nessas línguas em alguns meses.

Engenheiros do Facebook, Twitter e Myspace consertam os resultados sociais do Google
“Don’t be Evil” (não seja mal) foi o primeiro lema não oficial do Google. Referia-se a, entre outras coisas, a objetividade e a paridade nos resultados. Mas desde o lançamento de seus recursos sociais dentro da busca, alguns concorrentes afirmam que o Google foi pego em sua própria armadilha, uma vez que  os novos resultados de busca não dão prioridade para relevância e parecem favorecer o Google+, enquanto outras redes como o Twitter são esquecidas. Como resultado, um grupo de engenheiros do Facebook, Twitter e Myspace lançaram o “Don’t be Evil” bookmarklet, na qual os usuários conseguem ver os resultados sociais de acordo com relevância – que são bem impressionantes.

Google lança o recurso ‘Pergunte a um amigo”
Já que o assunto é o Google…  O gigante acabou de lançar seu mais novo recurso: o “Pergunte a um amigo”.  Localizado na parte inferior dos resultados da pesquisa e, quando clicado oferece aos usuários a opção de encaminhar a sua pesquisa para seus contatos no Google+. A abertura desse recurso e a inclusão do Twitter, LinkedIn e Facebook podem acalmar os críticos que acreditam que o Google está favorecendo apenas a sua rede social nos resultados de pesquisa social.

A saga do username do G+ continua
Se os usuários já reclamavam sobre a política de usernames e pseudônimos antes mesmo da plataforma ser lançada, a “novidade” lançada pelo Google+ na semana passada certamente não ajudou a situação.  A rede ofereceu aos seus usuários uma pequena concessão, praticamente impraticável. Agora você pode adicionar um username que aparecerá entre o seu nome, como Fabiana “A Linda” Silveira. Além disso, o recurso também permite que o perfil seja configurado em cima de identidades já estabelecidas. Por exemplo: a Madonna pode ter uma página chamada Madonna, mas o processo para ter essa identidade verificada parece um pouco impraticável. Algo nos diz que eles ainda não “acertaram o gol”…

YouTube atinge 4.000 milhões de visualizações de vídeos por dia
Pare um momento para pensar sobre isso. 4 bilhões de acessos por dia. Isso é 4,000,000,000 vistas a cada 24 horas. Não é incrível?

O YouTube também anunciou que 60 horas de vídeo são enviados ao YouTube a cada minuto. Essa surpreendente estatística é ainda mais impressionante pelo fato de que ela aumentou 25% desde maio do ano passado.

Lego lança plataforma social para seus fãs
A rede social se chama ReBrick, e permite os fãs compartilhem imagens, vídeos, notícias, além de incentivar que os usuários comentem, classifiquem e compartilhem o conteúdo em outras redes sociais, como o Twitter e o Facebook. O mais legal sobre o ReBrick, é que ele conecta todos os sites-fãs dedicados às criações Lego em todo o mundo, trabalhando em parceria com eles. Ou seja: os criadores podem consultar os fãs em todo o processo de desenvolvimento. A plataforma social também fornece links para outros sites e fóruns on-line, onde os fãs podem aproveitar ainda mais o seu amor pelo Lego.

Marcas testam programa de fidelidade virtual
Taco Bell, 7-Eleven, Dunkin ‘Donuts e Quiznos são algumas das marcas que estão testando um novo programa de fidelidade, que premia as compras dos consumidores com créditos do Facebook que podem ser gasto nos social games FarmVille e The Sims.

We Are Social faz parceria com a House of Fraser
House of Fraser é uma loja de departamento em Londres que promove um shopping online destinado a estudantes. Eles realizaram uma parceria com a União Nacional dos Estudantes (NUS) para lançar um app de descontos na fan page da House of Fraser no Facebook (construídos por nós!). O aplicativo permite que os estudantes que “curtirem” a marca no Facebook possam receber um desconto de 10% quando realizarem compras no site da House of Fraser.

Air China faz campanha de check-in no Facebook
Para aumentar a divulgação dos seus serviços na Suécia, a Air China estabeleceu uma parceria com vários restaurantes asiáticos populares da Suécia, que incentivava os clientes a darem a check-in no Facebook quando eles sentassem para comer. Aqueles com maior número de check-ins (e calorias, supomos) no final da semana ganhava um par de passagens para viajar pela Ásia. Embora pareça simples, esta foi uma campanha muito bem sucedida, atingindo mais de um milhão de pessoas.

Bayern de Munique faz jogada de marketing no Facebook
Os líderes do Bayern de Munique prometeram aos fãs uma nova contratação na quinta-feira – com o anúncio através de sua página do Facebook. Quando Bayern revelou que ‘a nova estrela do FCB“ era na verdade um aplicativo e não um jogador, o clube recebeu 5,000 comentários irritados, o que fez com que Bayern se visse obrigado a pedir desculpas. Todo esse golpe de marketing era para mostrar o quão importante são os fãs para o clube. Com certeza da próxima vez eles não vão brincar tanto se quiserem mostrar apreciação pelos fãs.

Por que não receber os We Are Social por ou ?